As empresas de serviço, o Governo e a sociedade estarão em debate na 16ª Conescap

Elizete Schazmann para Contabilidade na TV
A vida das empresas está nas mãos de legisladores que em sua maioria sequer conhecem a realidade das empresas brasileiras, pois muitos são políticos profissionais, sem nunca ter sido empresários ou funcionários. Desta forma, a ponte para fazer Leis de acordo com as necessidades reais é o diálogo entre quem vive o dia a dia das empresas e quem tem poder para decidir sobre temas como a terceirização, Simples Nacional ou a implementação do eSocial. Pensando neste importante elo a Fenacon juntamente com o Sescap Pernambuco decidiram o tema da 16ª Conescap: “As Empresas de Serviços, o Governo e a Sociedade em Debate”, o evento será de 11 a 13 de novembro em Recife. Leia a reportagem sobre o setor de serviços a seguir:
Mesmo diante das estabilidades econômicas, o setor de serviços tem crescido, gerando emprego e renda. Em muitos momentos de retração na indústria e  no comércio  ele tem segurado os números da economia. Segundo o presidente do Sescap/PE, Albérico Xavier, as empresas de serviços têm sido a principal engrenagem responsável pela geração de empregos nos últimos anos no Brasil. Ele lembra que, em sua maioria, são formadas por empresas de micro e pequeno porte, que  têm conseguido se sobressair em meio as dificuldades apresentadas pela economia brasileira, e mantiveram crescente a geração de empregos no país. “Por possuírem a característica, em sua maioria, de trabalhar com grande intensidade de mão-de-obra, o impacto na economia das microrregiões em que as empresas estão sediadas, tem repercussão imediata, promovendo um crescimento econômico de maior percepção nas demais micros e pequenas empresas destas microrregiões”, avalia. Xavier destaca ainda que os governantes não podem pensar em desenvolvimento social, sem priorizar a proteção e a facilitar o desenvolvimento das empresas de serviços.
Para o presidente da Fenacon, Mario Berti, além das empresas de serviços  responderem por um percentual expressivo (perto de 40%) dos empregos gerados no País, ainda contribuem de maneira grandiosa na arrecadação tributária e tem sido, ao longo de todas as crises pelas quais passamos, o setor que menos sofre recessão e por conseguinte, queda de empregos formais.
Embora o impacto do atual momento econômico recaia sobre todos os setores da economia,  Xavier entende que, as empresas de serviços, contudo, terão maior disposição para superar os efeitos em um menor decurso de tempo. Berti já considera que ainda não há como dimensionar o percentual de uma eventual queda na demanda, mas como as empresas de serviços, via de regra, estão atreladas às demais atividades econômicas (indústria, comércio, agroindústria etc.), por certo os reflexos virão. “Entendo que de maneira mais moderada, mas certamente sentiremos o impacto”, avalia.
Se os números parecem apontar muitas facilidades para as empresas de serviços da área contábil, a realidade vista  mais de perto traça muitos desafios para quem quer se manter num mercado com enorme demanda de trabalho acrescido de muitas pressão e responsabilidade. Além disso, diante do fisco cada dia mais digital, a modernização do setor é inevitável. Xavier não tem dúvidas que o aprimoramento tecnológico é o caminho mais curto para a minimização dos custos e o aumento da qualidade dos serviços prestados. “Empresas de serviços de todo o Brasil têm, em sua maioria, investido bastante na modernização tecnológica, elemento que está atrelado a maior capacidade de superação das dificuldades econômicas.”
Segundo Berti, não existe outra forma a não ser se adaptar às novas e complicadas exigências, o que tem trazido impacto na necessidade de investimentos constantes, o que está obrigando as empresas a voltarem os olhos para treinamento de pessoal e aquisição de novas ferramentas. “Vejo que isto tem um lado positivo, pois vai propiciar mais agilidade e segurança na consecução de seus objetivos”, conclui.
O acúmulo de responsabilidades e o compromisso com o crescimento
Se de um lado os Governos estão investindo em sistemas cada dia mais sofisticados para a arrecadação de impostos e tributos, por outro lado os empresários necessitam de uma assessoria mais completa por parte dos contadores, o  que vai além dos balanços e do recolhimento de impostos.  As exigências de ambos os lados elevam a importância desse profissional para a sociedade e também geram um acúmulo de funções que precisa ser muito bem administrado.
Para Xavier, à  medida em que os fiscos, municipais, estaduais e federal vêm aumentando o seu monitoramento sobre as atividades empresariais, o detalhamento das informações prestadas vem absorvendo demasiadamente o tempo das atividades desenvolvidas pelas empresas contábeis. Ele acrescenta que, muitas vezes o tempo dedicado ao atendimento das obrigações acessórias exigidas pelos entes federativos, supera, em muito, o tempo destinado às atividades de análise das variações patrimoniais, suas influências, efeitos e consequências, levando em muitos casos o profissional contábil a desvirtuar-se do seu principal trabalho que é o de orientar os gestores empresariais em suas tomadas de decisões, por meio das análises das demonstrações contábeis.  Ele alerta que, para não incorrer nestes desvios de finalidade, o investimento dos empresários contábeis na modernização tecnológica não diverge do realizado pelas demais atividades prestadoras de serviço. “Assim como o trabalho de preparação e orientação dos funcionários dos nossos clientes pois o detalhamento das informações exigidas não permite as correções de falhas cadastrais e processuais depois dos fatos já ocorridos – implicando, muitas vezes, em pesadas penalidades pecuniárias”.
Mario Berti acrescenta que,  a melhor forma de fazer frente às transformações é se preparando, investindo em conhecimento e treinando pessoal. “Tenho para comigo que o empresário contábil que se preocupar com prestar um bom serviço vai sobreviver e ter sucesso porque, infelizmente, a grande maioria ainda não se atentou para o enorme rol de mudanças que afeta o setor”, lamenta.
Para debater temas como esses, que inquietam os empresários contábeis do país, a 16ª   Convenção Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (16ª Conescap), maior e mais significativo evento do setor de Serviços brasileiro, acontecerá entre os dias 11 a 13 de novembro de 2015, no Centro de Convenções, em Olinda, Pernambuco. A expectativa é de que mais de dois mil gestores da área de serviços de todo o Brasil participem. a Convenção promovida pela Fenacon,  terá como anfitrião o Sescap/PE.
Realizado a cada dois anos, o evento é um importante momento de confraternização e integração nacional das empresas do setor de serviços. Um espaço para debates, troca de ideias, novos negócios e descoberta de novas tecnologias. .
Segundo Xavier,  apesar da escolha do tema, “As Empresas de Serviços, o Governo e a Sociedade em debate”, ter se dado em meados de 2014, ele tem se tornado cada vez mais atrativo, aumentando as expectativas dos que estão realizando suas inscrições para participar do evento. “A crise moral, política e econômica que tem se estabelecido no Brasil traz uma grande ansiedade por parte de todos os brasileiros, de discutir alternativas, caminhos para superação desse mar de amoralidade e desvirtuamento de conduta que irradiou-se pela cultura brasileira” desabafa.
O presidente da Fenacon, entidade que promove a Conescap, considera que o momento é mais do que oportuno para as empresas de serviços debaterem  sua realidade, uma vez que ainda “seguram a onda”, e conseguem se manter em funcionamento e em desenvolvimento. “No entanto, as mudanças são tantas, e as exigências tanto do governo como da sociedade são tão intensas, que há necessidade de ‘pararmos para pensar’ sobre nossa atividade e o que nos espera no futuro”, argumenta.
Serviço
Evento: 16ª Conescap – Convenção Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas
Data: de 11 a 13 de novembro
Local: Recife/PE
Inscrições: http://goo.gl/6jXPfM 

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email