Você está aqui: DDuwe Contabilidade » Notícias

27 de maio de 2015 Nacional

Aumenta a pontualidade de pequena empresa

Segundo levantamento da Serasa Experian, de cada mil pagamentos feitos por companhias de pequeno porte em abril, 957 aconteceram em dia. No entanto, cenário preocupa os economistas

São Paulo – A pontualidade de pagamentos das micro e pequenas empresas atingiu 95,7% em abril de 2015, segundo levantamento da Serasa Experian, divulgado ontem.

Isto significa que durante o mês passado, a cada 1.000 pagamentos realizados, 957 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias. Este nível de pontualidade foi um pouco maior que o registrado em março, que havia sido de 95,5%.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a pontualidade de pagamentos das micro e pequenas empresas apresentou pequena elevação já que, no mesmo mês do ano passado, esta fora de 95,3%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a ligeira elevação do nível de pontualidade está compatível com a redução dos valores médios de pagamentos. Ou seja, diante do cenário conjuntural recessivo, as micro e pequenas empresas estão se esforçando em racionalizar custos e efetuar menores aquisições de insumos. Isto acaba gerando redução dos valores médios pagos em seus compromissos financeiros, o que ajuda a conter elevações mais acentuadas na inadimplência.

As micro e pequenas empresas do setor comercial apresentaram o maior nível de pontualidade de pagamentos em abril: 96,3%. Por outro lado, as micro e pequenas empresas industriais registraram pontualidade de 94,4% e, por fim, a pontualidade de pagamentos das micro e pequenas empresas de serviços atingiu 95,1% no quarto mês de 2015.

Em abril de 2015, o valor médio dos pagamentos pontuais caiu 1,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior (R$ 1.957 contra R$ 1.993). O valor médio mais alto foi registrado pelos pagamentos pontuais das empresas de serviços (R$ 2.080), seguido pelo das empresas comerciais (R$1.966) e, por fim, pelas micro e pequenas empresas do segmento industrial (R$ 1.862).

MEIs em Minas

Microempreendedores Individuais (MEIs) em Minas Gerais já são 17,7 mil a mais que micro e pequenas empresas mineiras optantes pelo Simples Nacional. O levantamento feito pelo Sebrae Minas utiliza como fonte dados da Receita Federal, até 30 de abril.

De acordo com o estudo, até abril já são 540.988 mil MEIs no estado, contra 523.191 mil MPEs que aderiram ao regime tributário simplificado para micro e pequenas empresas, o Simples Nacional.

Segundo a analista da Unidade de Atendimento do Sebrae Minas, Ariane Vilhena, em sete anos, desde a aprovação da Lei Complementar nº 128, que criou a figura jurídica do MEI, o número de formalizados não parou de crescer. Os principais fatores atribuídos a este crescimento são as vantagens oferecidas pela formalização. “São benefícios que o empreendedor não teria como sendo informal, como por exemplo, o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais”, explica Ariane.

Os formalizados também têm acesso a outras vantagens, como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, a possibilidade de vender para pessoas jurídicas e órgãos do governo, entre outros.

Os MEIs mineiros representam 10,9% dos formalizados no Brasil. O estado continua sendo o terceiro em número de microempreendedores, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. No acumulado de janeiro a abril deste ano foram 38.264 mil novos cadastrados em Minas Gerais, segundo o Sebrae.

DCI