Câmara aprova ampliação de parcelamento do Refis da crise

O plenário da Câmara aprovou na noite desta quarta-feira (21) a medida provisória que amplia o parcelamento de débitos tributários, conhecido como Refis da crise. O texto, que segue agora para análise do Senado, também reabre prazo para adesão das Santas Casas em programas de moratória e o perdão de dívidas com o Fisco federal.

Com a medida, fica permitida a renegociação de débitos vencidos até dezembro de 2013. Antes, a legislação só autorizava que fossem incluídos no programa dívidas vencidas até novembro de 2008.

Será exigida também a antecipação de valores para adesão à nova rodada do programa, condição que não estava prevista anteriormente. Quem quiser aderir dessa vez terá de antecipar ao governo 10% do valor devido quando o montante for de até R$ 1 milhão e 20% quando superar esse patamar.

A medida, originalmente, tratava apenas da renovação do programa Inovar Auto, um benefício fiscal à indústria automobilística nacional, autorizando a importação de software e equipamentos estrangeiros. Com a mudança feita na comissão especial que analisou a matéria, fica permitido que dívidas contraídas até 2013 sejam incluídas no Refis (parcelamento de débitos).

A medida incluía ainda um pacote de bondades para o setor de concessões mas, por ter diversos questionamentos, os líderes fizeram um acordo e retiraram esses pontos da proposta para viabilizar sua votação ainda nesta quarta-feira. A preocupação dos deputados era adiar a votação para a semana que vem, o que poderia inviabilizar a análise do texto no Senado até 2 de junho, quando a medida vence e suas regras deixam de valer.

Os deputados também retiraram da medida uma proposta para a indústria sucroalcooleira que aumentava de 25% para 27,5% o limite da mistura de álcool à gasolina. De acordo com líderes de partidos da base aliada, essas propostas deverão ser incluídas em outras medidas provisórias.

Durante a sessão de hoje, os deputados aprovaram seis medidas provisórias. Uma delas permite a extensão das regras do RDC (Regime Diferenciado de Contratação) apenas para licitações de obras penitenciárias. O texto segue para sanção da presidente Dilma Rousseff.

Outra medida aprovada reabre prazos para renegociação ou liquidação de dívidas rurais, principalmente na região Nordeste. O texto segue para o Senado. O objetivo da proposta é auxiliar os produtores rurais que tiveram perdas com a seca.

A medida estabelece que os créditos concedidos aos assentados da reforma agrária, entre 1985 a 2013, destinados à construção, à ampliação ou à reforma de habitação poderão ser liquidados nas mesmas condições de pagamento do Programa Nacional de habitação Rural (PNHR).

Trabalhadores rurais de diversos movimentos sociais acompanharam a votação e comemoraram a aprovação da matéria.

O plenário aprovou ainda outra medida provisória que isenta os importadores de álcool do pagamento do PIS/Pasep-importação e do Cofins-importação. A matéria também segue para análise do Senado.

Folha de S. Paulo

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email