Empreendedor individual vai receber carnê em casa a partir de terça

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

Os MEIs (Microempreendedores Individuais) do Estado de São Paulo vão começar a receber em casa, na terça-feira, dia 10, o carnê de pagamento que permite a formalização da atividade. Estão incluídos na contribuição à Previdência Social o ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) e/ou o ISS (Imposto Sobre Serviços). Com a medida, não será mais necessário imprimir o boleto no Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br), exigência apontada por muitos profissionais como percalço para manter suas contas em dia.

Como a incidência dos tributos depende do ramo de atuação do MEI, o valor do carnê não é o mesmo aos contribuintes. Todos pagam R$ 36,20 de INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), o correspondente a 5% do salário-mínimo (R$ 724), mais R$ 1 de ICMS, se for indústria ou comércio, ou mais R$ 5 de ISS, ao ramo de serviços.

A Secretaria da Micro e Pequena Empresa é que vai cuidar da entrega, via Correios, das correspondências, que têm vencimento no dia 20. Entretanto, para recebê-las, é imprescindível que o MEI atualize seu endereço no Portal do Empreendedor.

Conforme explica a consultora jurídica do escritório do Sebrae-SP no Grande ABC, Cíntia Gomes Bertão, a secretaria enviará apenas os carnês que ainda não venceram neste ano, ou seja, de maio (que será pago neste mês) até dezembro, e todos de uma só vez. “Se o MEI tiver pagamentos em atraso, será preciso entrar no Portal do Empreendedor e imprimir os boletos para quitar todas as contribuições em aberto”, orienta.

DANOS – Segundo Cíntia, o maior prejuízo de quem paga o carnê atrasado é previdenciário. “O benefício só é concedido para quem efetua o pagamento em dia”, diz, referindo-se à aposentadoria por idade. Com a alíquota reduzida de contribuição de 5% (para os demais contribuintes são exigidos no mínimo 11%), essa é a única opção do MEI, a não ser que se aposente por invalidez ou aumente a quantia paga ao INSS para ter direito ao benefício por tempo de contribuição.

Para ‘pendurar as chuteiras’ com 60 anos, caso das mulheres, ou 65 anos, dos homens, é exigida carência de 180 contribuições, o mesmo que 15 anos. Porém, ela é contabilizada apenas a partir do primeiro pagamento efetuado até a data estipulada, ou seja, dia 20. Basta um dia de atraso para que a carência perca sua validade.

Os demais benefícios, como licença-maternidade, auxílio-doença e pensão por morte, são disponibilizados enquanto o segurado mantiver o período de graça, que varia de 12 a 36 meses sem pagamento.

Na região, a inadimplência acompanha o percentual nacional, atingindo 60% dos contribuintes. Além dos danos previdenciários, os MEIs que não pagam em dia correm o risco de serem inscritos na dívida ativa do Estado (caso do ICMS) ou do município (ISS), alerta a consultora regional do Sebrae-SP.

Grande ABC possui 46.858 profissionais formalizados

O Grande ABC possui hoje 46.858 MEIs (Microempreendedores Individuais). O montante representa 24,15% do total de informais nas sete cidades, de 194.014, segundo estimativas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O programa começou em julho de 2009.

Podem se formalizar costureiras, cabeleireiras, pipoqueiros, vendedores de cachorro-quente, mecânicos e pequenos comerciantes, entre outros, que faturem até R$ 60 mil por ano e tenham até um empregado que receba o salário-mínimo ou o piso da categoria.

ALERTA – Com o início do envio dos carnês via Correios, o Sebrae-SP adverte para o risco de associações e entidades fantasmas se aproveitarem para enviar boletos falsos. Por isso, divulgou imagens do carnê. No envelope, é importante verificar o brasão do governo federal na frente e observar o remetente Secretaria da Micro e Pequena Empresa no verso. Dentro, haverá a carta de apresentação do Carnê da Cidadania do MEI.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email